Categories: Empreendedorismo

Mariana Anselmo

Share

Fazer um bom controle de caixa é essencial para a saúde financeira do seu negócio, seja você um lojista ou profissional autônomo. É ele que vai te dar visibilidade da sua situação financeira da empresa.

Com esse controle é possível entender as receitas e as despesas, distinguindo tudo que entra e sai. A diferença disso é o saldo final, que pode ser semanal, mensal ou anual. 

Como funciona um controle de caixa?

O controle de caixa nada mais é do que o registro do dinheiro que entra e sai em uma empresa. E isso pode ser feito em sistemas de gestão ou até mesmo planilhas, para facilitar o processo. 

O próximo passo é fazer o controle e categorizar os canais que servem como portas de entradas e saídas de dinheiro. Elas podem ser:

Recebimentos: correspondem a toda verba que entra na empresa (vendas de imediato e o adiantamento de parcelas).

Pagamentos: custos com pagamentos de contas, compras de novos produtos ou de matérias-primas, pagamento de salários, vales etc. 

Saldo anterior: o início de todo período de controle de caixa deve, também, considerar o saldo anterior. 

Saldo final: é feita com base no cálculo: saldo final = entrada – saída de dinheiro

03 dicas para melhorar seu controle de caixa

Na correria do dia a dia, a gente sabe que as atividades se acumulam e nem sempre a devida atenção é dada à atualização do controle de caixa. 

Que tal 3 dicas que vão te ajudar a agilizar esse processo, tornando-o mais rápido e automático. Assim, nunca mais você fica com controle de caixa atrasado!

1 – Fluxo de caixa: uma ferramenta parceira da sua gestão

É importante enxergar o fluxo de caixa do seu negócio como uma ferramenta de gestão. Foi-se o tempo em que ele poderia ser considerado apenas um instrumento de registro de contas a pagar e a receber. 

Use seu fluxo como insumo para analisar os resultados do fluxo (saldo negativo ou positivo) e tomar decisões importantes. Quer pegar um empréstimo? Não sabe se é o momento de fazer um investimento? Bom, o fluxo de caixa pode te dar essa resposta.

Para construir seu fluxo de caixa, você precisa:

  • Registrar diariamente as despesas e receita
  • Analisar os pagamentos e recebimentos futuros
  • Considerar investimentos
  • Considerar a necessidade de empréstimo (capital de giro)
  • Ter constância diária neste processo

2 – Negocie preços e prazos com fornecedores

Conseguir boas negociações com fornecedores depende muito de um fator: relacionamento. Ou melhor: um bom relacionamento! Tempo de parceria, constância de compra e pagamentos em dia ajudam a fortalecer esse laço. 

Um bom indicador para saber como estão as negociações com os fornecedores é o prazo médio do ciclo financeiro. Ele demonstra o intervalo de tempo entre o pagamento aos fornecedores até o momento do recebimento das vendas realizadas. 

Se essa média está em contínuo crescimento, ou seja, há uma demanda maior por capital de giro, isso pode ser o alerta para a realização de novas negociações de prazos de pagamentos aos fornecedores. 

3 – Adiante os seus recebíveis 

Solicitar a antecipação dos seus recebíveis pode ser uma alternativa para ter o valor das suas vendas a prazo, realizadas no cartão de crédito. Claro que isso implica em pagar uma taxa ao banco, por isso não deve ser feita sem planejamento. 

Antecipando esse dinheiro, você mantém o capital de giro, honra os compromissos financeiros com fornecedores e diminui o ciclo financeiro do seu negócio. Mas como dissemos, é preciso fazer planejamento, já que a ação implica juros. 

Num geral, a antecipação de recebíveis oferece taxas menores que as de um empréstimo, mas esse custo, certamente, vai afetar sua margem de lucro.