Categories: Você sabia?

Mariana Anselmo

Share

Quem vai construir ou reformar já deve ter ouvido falar dos impermeabilizantes. E se você ainda não ouviu, saiba que ele faz parte de uma etapa essencial para garantir a durabilidade da sua obra.

Impermeabilizar nada mais é do que vedar e selar os materiais que são considerados porosos. Os impermeabilizantes são usados para manter as áreas secas, protegendo da água, fungos e bactérias. 

Algumas áreas que devem ser impermeabilizadas:

  • Paredes
  • Lajes
  • Piscinas
  • Marquises
  • Fundações 
  • Telhados

Eles ainda podem ter origem sintética, orgânica e inorgânica.

Qualquer obra, seja residencial, comercial ou industrial, deve ser impermeabilizada internamente e/ou externamente. E hoje já existem produtos específicos para as duas opções. 

A importância dos impermeabilizantes

Construir ou reformar, geralmente, implica em um investimento financeiro considerável. Por isso, sempre falamos da importância de usar bons materiais e contratar bons profissionais. Isso sem falar no valor emocional, afinal, quem nunca sonhou com a casa própria, por exemplo?

Então, nada mais justo do que fazer com que esse investimento dure o maior período de tempo possível sem precisar de consertos. Para evitar dores de cabeça, o processo de impermeabilização é essencial para a durabilidade da sua obra. Ele vai evitar rachaduras, estufamento, mofo, infiltrações…

E não estamos falando de garantir que só a parte externa da sua obra seja protegida. Impermeabilizar garante que a estrutura da sua obra, bem como o encanamento e a fiação elétrica, seja resguardada da chuva e do sol.

Como escolher o melhor impermeabilizante?

O primeiro passo é saber onde você vai usar o impermeabilizante e se ele precisa ser rígido, ou flexível. Por exemplo, áreas expostas, que estão constantemente expostas à chuva e ao sol, precisam ter uma impermeabilização flexível. Assim, com a dilatação, a estrutura não é afetada.

Veja as diferenças entre as duas opções:

Impermeabilização rígida

Essa é a melhor opção quando a estrutura a qual se vai impermeabilizar não sofre grandes dilatações. A dilatação é um processo natural, devido a mudanças  de temperatura e exposição ao sol.

É usada em locais como poços, subsolos, reservatórios, piscinas enterradas, silos, baldrames e outras estruturas que não sofrem com variação de temperatura ou exposição ao sol.

Alguns exemplos de impermeabilização rígida:

  • Argamassa polimérica
  • Argamassa impermeável
  • Resina Epóxi

Impermeabilização flexível

É a mais indicada para estruturas que sofrem maior contração ou dilatação térmica. Ao ser aplicada por cima de alguma estrutura, forma uma película ou espécie de membrana de proteção para evitar a infiltração.

Um exemplo muito conhecido de impermeabilizante flexível é a manta asfáltica, emulsão acrílica, poliéster flexível e silicones.

Alguns exemplos do que usar em cada local:

  • Paredes (fissuras) e calhas: selantes
  • Áreas molhadas, como cozinhas e banheiro: argamassa polimérica
  • Alicerces: impermeabilizante asfáltico
  • Chapiscos: adesivos impermeabilizantes

Tipos de impermeabilizante

Dentro da impermeabilização rígida e flexível, existem outros impermeabilizantes e é importante que você saiba diferenciá-los, principalmente se for aplicar por conta própria o produto.

Veja os principais a seguir:

  • Manta líquida: é um dos tipos de impermeabilizantes mais utilizados. Ele aumenta a resistência do ambiente contra os raios solares e a chuva. É indicado para lajes e coberturas e tem como vantagem: fácil aplicação, alta resistência ao sol e chuva e dispensa a cobertura de um contrapiso.
  • Manta asfáltica: é indicado para lajes, vigas, reservatórios e piscinas. A principal vantagem é a facilidade de se encontrar no mercado, bem como o seu custo benefício.
  • Aditivos: são produtos adicionados na argamassa ou concreto para impermeabilizar as áreas onde o produto for aplicado. São usados no preparo do concreto, em reservatórios e estações de tratamento (por não interferirem na qualidade da água), fundações, lajes de subsolo e piscinas enterradas. As principais vantagens no uso incluem a facilidade de aplicação e o custo benefício.
  • Resina: composto químico que funciona na forma de uma membrana transparente e resistente, com uma boa aderência ao concreto. Sua aplicação é mais comum em pisos de fábricas, cozinhas industriais e oficinas mecânicas. É de fácil aplicação e longa durabilidade.
  • Silicone: mais indicado para áreas de difícil acesso, reformas e áreas de tráfego eventual para manutenção. Excelente opção para reformas, pois pode ser aplicado diretamente sobre o sistema preexistente, sem adicionar sobrepeso e sem a necessidade de obras extensivas.

Aprendi e agora?

Agora, você já sabe a importância de impermeabilizar as áreas da sua obra e também já descobriu todas as variedades de impermeabilizante e qual escolher, de acordo com a sua necessidade. 

Ufa, aprendeu bastante hoje, hein?! Agora, já pode correr no nosso site e buscar por aquela que você precisa. Temos uma grande variedade de impermeabilizantes, com diversos preços e você recebe aí, rapidinho, na sua casa!